Os jardins históricos dispersos pelo território português são difíceis de conservar e valorizar, essencialmente pela exigência de recursos financeiros e de formação especializada que caracteriza este património.

 

Agrupar os proprietários em redor de um interesse comum, reunir profissionais especializados e procurar soluções para valorizar os jardins históricos em Portugal foram as motivações que levaram à criação, em Janeiro de 2003, da Associação Portuguesa dos Jardins e Sítios Históricos. 


Esta iniciativa partiu de um grupo de profissionais de jardins que, depois do levantamento de jardins portugueses, levado a cabo em 1998, por encomenda do Fundo do Turismo, tomou consciência do estado degradado em que estes se encontravam e, tendo a convicção que o seu valor patrimonial, económico e recreativo não se encontrava legalmente defendido — apesar de poderem ser considerados verdadeiros repositórios da cultura portuguesa —, assumiu a responsabilidade de criar a associação.


Integram os órgãos sociais da Associação dos Jardins Históricos, desde a sua fundação, proprietários ou responsáveis institucionais de jardins históricos  e profissionais de áreas complemetares nesta matéria, tais como arquitectos paisagistas, arquitectos, historiadores da arte, agrónomos, silvicultores, juristas e economistas.



 

Associação Portuguesa dos Jardins Históricos

T 96 967 37 50 / geral@jardinshistoricos.pt 

  • Wix Facebook page